Whatsapp

Whatsapp

a

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

.

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

te pego as 8

itao

itabuna pref

Massacre em Newtown: Conheça algumas vítimas da tragédia que chocou o mundo


Jovem de 20 anos invadiu escola americana e matou 26 pessoas
A cidade de Newtown, nos Estados Unidos, nunca mais será a mesma após o massacre na escola Sandy Hook. No dia 14 de dezembro de 2012, um jovem de 20 anos, identificado como Adam Lanza, invadiu a escola com duas pistolas e um rifle e disparou contra crianças e funcionários: 20 crianças e seis adultos morreram. Conheça a seguir as vítimas do massacre.
Grace McDonnell, 7 anos
Grace foi descrita por vizinhos e amigos da família como “altamente adorável” e “cheia de vida”, segundo o jornal “Daily Mail”. Por seus olhos azuis e cabelos loiros, era frequentemente descrita como uma boneca. Grace vivia com seus pais em uma casa que ficava a apenas uma rua de distância de onde vivia o suposto atirador, Adam Lanza. Ela tinha um irmão de 11 anos, que está bem.
Victoria Soto, 27 anos
Victoria era professora da primeira série na escola, e tentou proteger seus alunos quando ouviu os disparos, segundo o pai de um dos alunos. Os estudantes ficaram escondidos atrás dela em um dos cantos da sala de aula. Quando o atirador invadiu a sala, ela se pôs na frente das crianças, segundo informações de um primo de Victoria, Jim Wiltsie, feitas ao site ABC News. Ela não tinha filhos e vivia com seu cão, Roxie.

Noah Pozner, 6 anos
Noah é a vítima mais nova do massacre – ele havia completado 6 anos em novembro. Ele tinha uma irmã gêmea, que sobreviveu, além de outra irmã de 8 anos que também estudava na escola e passa bem, segundo o jornal Newsday. Arthur Pozner, tio do menino, disse que ele era bastante maduro para a idade. “Era uma criança muito bem criada, extremamente inteligente”, afirmou.
Dawn Hocksprung, 47 anos
Diretora da escola Sandy Hook, Dawn foi descrita por amigos como uma apaixonada por seu trabalho e pelas crianças. Ela estava no cargo desde 2010, e havia implementado medidas de segurança recentemente, como a instalação de câmeras. “Ela era muito legal e divertida, mas também uma mulher muito rígida com as coisas sérias”, disse o amigo Tom Prunty à CNN. Dawn vivia em Woodbury, Connecticut, com seu marido, duas filhas e três enteados. Acredita-se que a diretora tenha sido a responsável por acionar o sistema de auto-falantes, alertando os alunos sobre o perigo dentro da escola.
Rachel D’Avino, 29 anos
Rachel trabalhava com crianças com necessidades especiais na escola Sandy Hook. Ela estudava análise de comportamento na Universidade de Saint Joseph. Amigos a descreveram como uma mulher e profissional apaixonada por seu trabalho com as crianças. Segundo o pastor Ken Whitten, em entrevista à Fox, Rachel estava há apenas uma semana em Sandy Hook.


Lauren Rousseau, 30 anos
Lauren era professora substituta permanente na escola. Segundo um comunicado divulgado por sua mãe, ela “queria ser professora desde antes de ir para o jardim de infância. Vamos sentir terrivelmente sua falta, e tentar nos confortar com o fato de que ela conseguiu alcançar seu sonho”, disse Teresa Rousseau. Lauren se formou na Universidade de Connecticut e fez pós-graduação em Bridgeport.

Mary Sherlach, 56 anos
Mary era a psicóloga da escola, e estava com a diretora Dawn Hocksprung quando o atirador invadiu Sandy Hook. Ela foi baleada após ir até o corredor para ver o que acontecia. Ela havia trabalhado em outras três escolas de Connecticut antes de ir para Sandy Hook em 1994, segundo a CNN. Ela era casada e vivia em Trumbull, Connecticut, com o marido. O casal tinha duas filhas já adultas.


Olivia Engel, 6 anos
Olivia era uma criança alegre e sorridente. “Ela adorava atenção. Tinha maneiras perfeitas, era muito educada, se portava muito bem à mesa. Ela era obediente, sempre a líder”, disse Dan Merton, amigo de longa data da família. Ele contou que na sexta a menina estava empolgada para voltar para casa depois da escola e fazer uma casa de doces para o natal. “Seu único crime foi ser uma sorridente criança de 6 anos”, disse o amigo.
Emilie Parker, 6 anos
Segundo seu pai, o americano Robbie Parker, Emilie era o tipo de criança que iluminava tudo por onde passava. Ela era a filha mais velha de Robbie, e foi descrita como uma menina “inteligente, criativa e muito amorosa”. Segundo a BBC, a última conversa entre pai e filha foi em português. Emilie tinha duas irmãs mais novas, de 3 e 4 anos. A família é natural do estado americano de Utah.
Publicidade