CON

pmi

itao

itao

geraldo

geraldo simoes

TICOMIA

TICOMIA

Cursos de medicina na Bolívia têm mais brasileiros que graduação da USP


Cursos de medicina na Bolívia têm mais brasileiros que graduação da USP
Na Universidade Udabol estudam cerca de cinco mil brasileiros
Cerca de 25 mil alunos estudam na Bolívia em instituições do país vizinho, segundo a Embaixada da Bolívia no Brasil. O contingente equivale a 23% dos estudantes de medicina matriculados no Brasil em 2012 (110.804 alunos), de acordo com censo do Ministério da Educação (MEC). A maioria deles vem de estados próximos ao país vizinho, como Acre e Mato Grosso, mas, alunos de quase todo o país atravessam a fronteira atraídos, principalmente, por dois motivos: a ausência de vestibular (basta o diploma de ensino médio para fazer a matrícula) e custo considerado baixíssimo das faculdades. Um exemplo é a Universidade de Aquino (Udabol), onde estudam cerca de cinco mil brasileiros. Lá o estudante que pagar à vista desembolsará cerca de R$ 10.500 por cinco anos. A quantia não cobriria nem três meses de curso na Santa Casa de São Paulo, onde a mensalidade é de R$ 3,9 mil. O problema para esses brasileiros é na volta. Segundo o MEC, apenas 2,1% dos formados na Bolívia passaram, em 2012, no Revalida, exame federal para validar o diploma de medicina estrangeiro.